Aprenderdorismo

Empreender é uma arte
1 de setembro de 2021 - Por: Elias William

3 dicas para manter um bom relacionamento com os fornecedores

Administrar internamente uma empresa demanda muita organização e planejamento, afinal de contas você precisa gerenciar entregas, equipes, pagamentos, relacionamento com clientes, dentre outras coisas que fazem parte de uma rotina empresarial.

Por mais que a administração seja excelente, a empresa depende de pessoas externas e um bom relacionamento com fornecedores. Aliás, esse é um ponto importante, já que impacta na produtividade dos colaboradores e nos resultados da empresa.

Por conta disso, é fundamental ter fornecedores que você pode contar e com quem sua empresa pode contar para uma boa parceria. Por saber a importância deles, saiba também como manter um bom relacionamento.

1. Comunicação direta com o fornecedor

Seu fornecedor precisa entender que sua empresa é parceira e não mais um cliente. Por conta disso, se você ou seus colaboradores precisarem conversar com os fornecedores, ainda mais para resolver problemas, eles podem entrar em contato diretamente com o responsável.

Sem um canal de comunicação direto como, por exemplo, e-mail, Whatsapp ou telefone, você vai depender de um tempo maior para solucionar algo que poderia ser feito com muito mais agilidade.

2. Exija clareza nas condições firmadas em contrato

Ter o fornecedor como um parceiro não quer dizer que vocês precisem esquecer que se trata de um negócio. Caso isso aconteça, o relacionamento pode se tornar complicado e sem respaldo legal para exigir algo da empresa.

Por conta disso, tenha um advogado especialista nesse tipo de negociação que possa validar e ler minuciosamente o contrato firmado. Tire todas as dúvidas antes de assinar. Desta forma, você começa a parceria de maneira segura e ciente dos direitos e deveres de cada um.

3. Valorize o custo-benefício

Crises e instabilidade econômica surgem de tempos em tempos e com isso, é normal ficar preocupado com a nova realidade financeira de seus clientes, e até mesmo da própria empresa. Nesta época são comuns os cortes, mas você não deve fazer isso ao mesmo tempo em que diminui a qualidade do que oferece ao seu público.

Mais do que o preço, é preciso analisar o custo-benefício de cada fornecedor. Analise o que seu parceiro tem a oferecer, se vale a pena e quais são seus diferenciais em relação à concorrência. Se ao final de tudo isso você achar que o preço cobrado é justo, vá em frente.

Então, mais do que o preço, você deve analisar o custo-benefício de cada fornecedor. O que ele tem a oferecer a você? O produto é de qualidade mesmo? Quais são os diferenciais, em termos de qualidade, em relação à concorrência? Se você achar que o preço cobrado faz jus às respostas dessas e de outras exigências, vá em frente.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram