Aprenderdorismo

Empreender é uma arte

Aprenda a Empreender

Empreender não é necessariamente abrir empresas e ficar rico. 
A jornada empreendedora pode ser usada na criação de negócios bem ou malsucedidos. 
Nosso objetivo é falar um pouco sobre a amplitude do empreendedorismo e suas características. 
É possível sim aprender a empreender com sucesso.
Quem é Luiza Trajano?
Luiza Trajano, do Magazine Luiza, é uma das mulheres mais influentes do Brasil. Símbolo de empreendedorismo, conhecimento e uma inspiração a quem deseja realizar sonhos, ela é uma das mulheres mais ricas do Brasil. A fortuna é estimada em US$ 5,3 bilhões, segundo dados da Forbes em 2021.  Aos 69 anos, a empresária vê o resultado das pequenas ações e decisões que tomou ao longo dos anos. Uma delas, inclusive, é a construção da frase que virou seu lema e ela sempre faz questão de destacar. “Primeiro faça o necessário, depois faça o possível e, de repente, você vai perceber que pode fazer o impossível”.  Trajetória Luiza Helena Trajano nasceu na cidade de Franca, em São Paulo, onde cresceu e se desenvolveu sob grande influência da família. A mãe permitia que Luiza fosse livre para descobrir respostas para seus problemas e a tia, também chamada Luiza, era a influência empreendedora por ter trabalhado durante boa parte da vida trabalhando como vendedora. Com o passar dos anos, a tia teve o desejo de comprar uma loja que seria batizada de Magazine Luiza, no ano de 1957. Aos 12 anos, Luiza Trajano decidiu que iria trabalhar na loja da tia para presentear os familiares no Natal, abrindo mão até das férias escolares. Aos 17, concluiu o Ensino Médio e decidiu que iria estudar Direito e Administração, mas acabaria por não exercer a primeira graduação devido à rotina exigente do crescimento do Magazine Luiza.  A trajetória da futura bilionária seria construída com base em diversas funções na empresa, passando por vendedora, gerente, entre outras até o ano de 1991, quando tudo mudaria. Sua tia a chamou para assumir o comando da companhia.  Magazine Luiza de Luiza Trajano Modernização por meio de loja virtual de eletrodomésticos quando a internet ainda não era popular, atração de clientes e uma liquidação milionária que renderia R$100 milhões aos cofres em cinco horas. Essas foram as primeiras medidas de Luiza Trajano no comando do Magazine Luiza.  Entre programas de bonificação, definição de tradições e reuniões semanais em todas as lojas da rede, Luiza deu grandes passos adquirindo redes de lojas por todo o Brasil, sendo um dos casos mais emblemáticos a inauguração de 46 lojas em apenas um dia em São Paulo, no ano de 2008.  Mas nada disso seria possível se atitudes não fossem tomadas. Pensando nisso, ao longo dos anos Luiza lançou iniciativas como o “Só Amanhã” e a “Liquidação Fantástica”, que atraíam enormes volumes de pessoas com descontos que chegavam a até 70%.  Um ano depois, em 2009, Luiza decidiu passar o bastão para Marcelo Silva, executivo de confiança da empresária que assumiria a Presidência do Conselho de Administração do Magazine Luiza.  Pouco mais tarde, em 2016, após passar o comando da companhia para o filho Frederico - responsável pela área de tecnologia e criação da Lu do Magalu -, Luiza viu o crescimento disparar ainda mais, chegando a 35 mil colaboradores, mais de 1.000 lojas físicas espalhadas por 819 cidades de 21 estados diferentes ao redor do Brasil.  Frederico é considerado como o grande incentivador de inovações e presença online da empresa, tanto que a Lu do Magalu tem um canal só para ela no YouTube. Após a abertura de inúmeras lojas e a percepção de crescimento acelerado, a empresa decidiu abrir o capital, o que fez as ações da empresa se valorizarem mais de 5.000%, aumentando em dez vezes seu valor inicial.  A figura de Luiza Trajano e o Marketing Mulher, CEO e bilionária, Luiza Trajano conquistou e desenvolveu voz ativa sobre causas importantes. Uma das mais significativas é o intenso combate à violência contra a mulher,  iniciativa despertada após caso de feminicídio ocorrido com uma gerente de loja Magalu em 2017, o que motivou a criação do Grupo Mulheres do Brasil. Ainda sob o mesmo tema, o app da Magazine Luiza lançou , em 2019, um botão de denúncia de violência no próprio aplicativo. Já em 2020, divulgou um programa de trainees apenas para negros.  Entre diversas notícias, opiniões e entrevistas, Luiza Trajano se posiciona sobre temas relevantes como a própria pandemia da COVID-19, conduzindo um plano para impulsionar a vacinação: o Unidos pela Vacina, além de facilitar e criar plataformas para auxiliar micro e pequenos empresários a manterem seus negócios abertos.    Não há nada mais relevante e interessante para uma empresa do que o posicionamento de seus comandantes sobre temas sociais e políticos. E é isso que Luiza faz com maestria em suas redes sociais com a própria linguagem e ações.  Lições de empreendedorismo de Luiza
  • Reclame menos, aja mais
  • O cliente é o mais importante
  • Atendimento e inovação são fundamentais
  • Você só cresce quando ouve o que não quer ouvir
  Fontes https://www.infomoney.com.br/perfil/luiza-helena-trajano/ http://automacaodevendas.com/quem-e-luiza-trajano/ https://www.euqueroinvestir.com/luiza-trajano-bilionaria/ https://endeavor.org.br/desenvolvimento-pessoal/luiza-helena-trajano/ https://www.ibccoaching.com.br/portal/exemplo-de-lideranca/historia-sucesso-luiza-helena-trajano-magazine-luiza/ https://www.youtube.com/watch?v=bew5KzrV-7w https://rockcontent.com/br/blog/luiza-helena-trajano/ https://forbes.com.br/forbes-money/2021/04/as-12-brasileiras-mais-ricas-do-mundo/  
Leia Mais
Quem é Ícaro de Carvalho do Novo Mercado?
Ícaro de Carvalho é comunicador, copywriter, especialista em Marketing Digital e empresário. Fundador da escola ‘O Novo Mercado’, ele ganhou projeção nas redes sociais por compartilhar conhecimento e oferecer dicas valiosas aos seguidores. Quando fala de Marketing para seu público, Ícaro costuma usar a frase “transformando segundos em minutos”, que inclusive foi tema de seu TED Talk em 2020. Com esse ponto de vista, o especialista tem como um de seus objetivos despertar a consciência de seus seguidores a respeito do que pode ser feito com o tempo. No caso das empresas, por exemplo, um dos principais desafios é entregar valor para prender a atenção por mais do que apenas alguns segundos.  O Novo Mercado Ícaro de Carvalho é um dos expoentes da comunicação no Brasil. Responsável por falar para mais de 900 mil pessoas no Instagram e para mais de 30 mil alunos ao longo de sua trajetória, o empreendedor tem como grande trunfo ‘O Novo Mercado’, uma das principais escolas de Marketing Digital, vendas e redes sociais do país. Crítico das soluções rápidas e fáceis que cada vez se vê mais na internet, Ícaro aposta em excelentes produções audiovisuais e conteúdo de qualidade para atrair cada vez mais alunos interessados em aprender sobre o mundo digital.  Para gerar autoridade e conquistar a confiança do público, Ícaro coloca em sua plataforma o seguinte texto. “Só ensinamos aquilo que fazemos. Nosso modelo foi construído para resolver os problemas que seu negócio possui. Ensinaremos você a se comunicar melhor, escrever de maneira mais cativante, fazer melhores anúncios e vender mais”, disponibilizando mais de 200 horas de conteúdo aos estudantes dividido em temas, como: marketing, negociação, vendas, redes sociais, ferramentas e copywriting. Ícaro de Carvalho e o Copywriting O fundador d’O Novo Mercado participou de projetos como o “Brasil Paralelo”, mas também encabeçou o êxito da empresa de investimentos “Avenue Securities” e do “O Código da Riqueza”, de Thiago Nigro, ‘O Primo Rico’, mas você sabe o que essas tarefas têm em comum? Elas foram concluídas graças aos conhecimentos e habilidades de Ícaro com o Copywriting. A habilidade de lidar com o Copywriting foi o que levou o empreendedor a um novo nível, lançando o livro “Transformando palavras em dinheiro: 42 lições que ninguém ensina sobre copywriting e marketing digital”. Na obra, Ícaro traz uma série de questionamentos sobre postagens, anúncios e aborda técnicas de persuasão, marketing e vendas testadas por ele próprio. Após a leitura, o autor espera que você consiga vender mais, além de aumentar o número de seguidores e clientes.    Fontes https://www.instagram.com/icaro.decarvalho/?hl=pt-br https://onovomercado.com.br/ https://markframe.com/loja/transformando-palavras-em-dinheiro-42-licoes-que-ninguem-ensina-sobre-copywriting-e-marketing-digital-icaro-de-carvalho/ https://herospark.com/blog/o-novo-mercado/#:~:text=uma%20qualidade%20impec%C3%A1vel.-,Afinal%2C%20quem%20%C3%A9%20%C3%8Dcaro%20de%20Carvalho%3F,as%20d%C3%BAvidas%20de%20seus%20seguidores. https://pt.famousbirthdays.com/people/icaro-de-carvalho.html https://videeditorial.com.br/index.php?route=product/author&author_id=5507 https://www.youtube.com/watch?v=CWMA7WQhZ3M  
Leia Mais
Quem é Samuel Pereira do 'Segredos da Audiência'?
Samuel Pereira, fundador do Segredos da Audiência, é um dos nomes mais relevantes do Brasil e do Mundo quando falamos de Marketing Digital. Responsável por auxiliar empreendedores a criar oportunidades de negócios saudáveis online a longo prazo, Pereira construiu sua reputação sob bases sólidas de conhecimento e técnicas de atração de público.  Publicitário de formação, Samuel identificou uma enorme oportunidade de mercado por volta do ano de 2012, quando percebeu que diversas empresas adotavam processos ineficazes na atração de audiência e ele tinha o que era preciso para mudar essa realidade.  Segredos da Audiência A empresa foi criada a partir da vontade de Samuel em fazer diferença na vida das empresas e pessoas. Ele identificou que era a fidelização de visitas e não a quantidade de acessos que poderia aumentar as receitas e tornar o crescimento algo saudável.  A partir disso, iniciou uma extensa jornada oferecendo conteúdos gratuitos nas redes sociais e blog, além de treinamentos online e presenciais. Pereira ajuda pessoas a transformarem suas vidas por meio de estratégias focadas no processo de construção de audiência, aumentando o fluxo de pessoas, aumento de vendas e posicionamento de marca no mercado.  Números O Segredos da Audiência se tornou um dos maiores eventos de tráfego e audiência do mundo, atraindo cerca de 7 mil pessoas presencialmente em 6 edições. Nos últimos anos, além dos eventos, Samuel Pereira desenvolveu mais de 60 sites e blogs do zero, ultrapassando a marca de 200 milhões de visualizações de páginas. No Instagram, Samuel tem mais de 600 mil seguidores e no YouTube conta com mais de 400 mil inscritos A jornada de venda e as redes sociais Ao longo dos anos as estratégias de vendas mudam. Antigamente, era necessário aparecer na televisão, no rádio ou até estampar sua marca em um outdoor para ter visualização, mas hoje não é mais assim.  Com a evolução da tecnologia e redes sociais, Samuel considera que existe uma jornada de 3 etapas até o cliente decidir consumir. São elas: atração da atenção, doutrinação e conversão. Caso você não saiba atrair a atenção das pessoas, dificilmente terá a oportunidade de doutrinar e converter.  É fundamental oferecer um conteúdo interessante e útil para que a audiência tenha vontade de consumir o que você deseja vender. Além disso, jamais publique apenas anúncios e considere a utilização de influenciadores digitais, porque isso pode fazer grande diferença na sua vida.  As redes sociais oferecem diferentes possibilidades para atrair mais seguidores e compradores do seu produto, mas para isso é preciso identificar oportunidades e traçar estratégias.  Primeiros passos Em seu discurso, Samuel Pereira afirma que ao decidir lidar com o mundo digital, uma pessoa deve começar pelo posicionamento da empresa na internet, passando depois pela criação de valor, visão da sociedade perante a marca, linha editorial e afins.  É essencial pesquisar, estudar e refletir antes de definir um post ou estratégia é fundamental para que a empresa siga uma linha que faça sentido em relação aos seus produtos, serviços e ideais.  Livros Samuel Pereira é autor do livro “Atenção: o maior ativo do mundo - O caminho mais efetivo para ser conhecido, gerar valor para seu público e ganhar dinheiro” e coautor do livro “Negócios Digitais”, best-seller da revista Veja.   Fontes  https://online.pucrs.br/professores/samuel-pereira#:~:text=Empreendedor%20digital%2C%20Samuel%20Pereira%20%C3%A9,no%20Brasil%20e%20no%20mundo. https://www.editoragente.com.br/autores/samuel-pereira-cat.html https://www.vendamais.com.br/segredos-da-audiencia-na-internet/ https://lead.segredosdaaudiencia.com.br/segredos-da-audiencia/  
Leia Mais
Quem é Thiago Nigro 'o Primo Rico'?
Thiago Nigro, o ‘Primo Rico’, é um dos principais educadores financeiros do Brasil. Se você se interessa ou estuda investimentos e tudo que envolve esse mundo, é praticamente obrigatório conhecer Nigro e o conhecimento que ele oferece.  Entre experiências positivas e negativas nos últimos 10 anos, o Primo Rico acumulou uma bagagem extensa de informações sobre o setor financeiro. Hoje ele mantém um canal no YouTube com quase 5 milhões de inscritos e uma conta no Instagram com quase a mesma quantidade de 5 milhões, onde ensina e incentiva pessoas a investirem melhor, gastar menos e ganhar mais. É importante ressaltar que nem sempre foi assim.  A trajetória e formação Durante a infância, os pais de Thiago Nigro perderam tudo que tinham por não saberem administrar o que haviam conquistado, o que parece ter incentivado o Primo Rico a tentar evitar erros e a falta de dinheiro.  Como quase todo jovem de 18 anos, Thiago tinha o sonho de conquistar o mundo e se tornar milionário, tanto que um de seus maiores hobbies era assistir a filmes sobre o mercado financeiro, onde era vendida uma imagem de dinheiro fácil e rápido.  Ao completar a maioridade, recebeu a quantia de R$5 mil de seus pais e fez o que sua cabeça mandou: investiu o valor integral na bolsa, mas perdeu tudo em uma semana. Apesar do choque de realidade, ele não desistiu.  O caso o incentivou a estudar profundamente o assunto e ele viria a se formar em Relações Internacionais pela ESPM e adquirir uma gama extensa de conhecimento ao longo dos próximos anos, em cursos como: “Educar Master – BM&F BOVESPA, “CPA – 20.ANBIMA”, “Operador no Mercado de Ações”, Agente Autônomo de Investimentos – ANCORD” e Treinamento Mega Bolsa – BM&F BOVESPA”.  A entrada no mercado financeiro Mesmo com formações excelentes e um conhecimento teórico vasto, Thiago Nigro ainda precisava de uma oportunidade para colocar tudo que sabia em prática. Ao longo de sua busca foi recusado por diversos bancos e teve até de trabalhar como garçom do restaurante Outback em determinado momento.  Após extensa busca, Nigro encontrou uma oportunidade como assessor de investimentos. Mesmo sem salário fixo e nenhum direito trabalhista, ele decidiu que aquela era a oportunidade que precisava para acumular mais conhecimento e abrir futuramente o próprio escritório de investimentos, a M. Nigro Investimentos, em 2015.  Surge O Primo Rico Durante a trajetória como sócio-proprietário da M. Nigro, Thiago chegou a comandar uma equipe de 55 pessoas, 5 mil clientes e R$ 2 bilhões de patrimônio. Apesar das conquistas, o falecimento de um dos clientes devido a um câncer viria a ser grande motivação de Thiago para criar o projeto que ajudaria pessoas dali para frente.  No ano de 2017, aos 26 anos, Thiago venderia sua fatia da empresa por R$1 milhão e conquistaria sua independência financeira. Com o montante, ‘O Primo Rico’ surge para ajudar pessoas a atingir a prosperidade financeira de forma saudável.  Por meio de seu canal no YouTube, o podcast PrimoCast, cursos online, diversas palestras, canal no Telegram, Twitter, encontros presenciais e até lives às 5h da manhã no Instagram, Thiago Nigro alcança diariamente milhares de pessoas interessadas em mudar de vida.   Com lições valiosas para os diversos níveis de conhecimento sobre a área, ‘O Primo Rico’ se consolidou como uma das principais personalidades do Brasil e do mundo na área financeira, tanto ao passar as próprias experiências quanto ao entrevistas milionários e bilionários em suas redes.  Crescimento  A cada degrau conquistado, Nigro sentiu que poderia ir mais longe. Foi nesse momento que, em 2018, lançou seu primeiro livro, ‘Do mil ao milhão: sem cortar o cafezinho’, onde informa o leitor com base em três princípios: gastar bem, investir melhor e ganhar mais. A introdução do livro que já passa de 500 mil exemplares vendidos traz ‘6 sacrifícios para ser rico’, que são: 
  1. Sacrificar o conforto presente
  2. Sacrificar o equilíbrio
  3. Sacrificar a mediocridade
  4. Sacrificar a vontade de ser querido
  5. Sacrificar a fragilidade
  6. Sacrificar o perfeccionismo
Dados do próprio site ‘O Primo Rico’ apontam que o curso ‘Do Mil ao Milhão’ já conta com mais de 20 mil alunos online, sendo que 91% do total passaram a gerenciar melhor suas finanças. Em abril de 2021, Nigro transmitiu para 135 mil pessoas no YouTube a apresentação da Finclass, uma plataforma de aulas sobre finanças e investimentos que traz nomes nacionais e internacionais.       Fontes https://www.oprimorico.com.br/thiago-nigro/ https://idiomus.com/blog/thiago-nigro/ https://segredosdomundo.r7.com/thiago-nigro/ https://www.infomoney.com.br/tudo-sobre/thiago-nigro/ https://folhaeconomica.com.br/thiago-nigro-descubra-a-historia-por-tras-do-primo-rico  
Leia Mais
Quem é Salt Bae?
O chef turco Salt Bae (Nusret Gökçe) é um dos casos mais famosos de viralização de conteúdo nas redes sociais nos últimos anos. Responsável por atender celebridades do mundo todo, gerenciar restaurantes e ainda aparecer na mídia com seus gestos teatrais e chamativos, Bae nem sempre foi cercado por luxo e famosos.  De origem humilde, Salt Bae nasceu na Turquia em 1983 e teve infância e juventude marcadas pela pobreza. Filho de um mineiro de carvão, o jovem Nusret percebeu que teria de trabalhar para ajudar a família e parar de estudar na escola primária.  Como em uma jornada de filmes de herói, o rapaz teria a vida modificada por algo que não escolheu. Devido à necessidade, aos 14 anos ele foi chamado para trabalhar como aprendiz de açougueiro. Por lá, Nusret aprenderia alguns dos cortes que mudariam seu destino e o renderiam aos seus restaurantes o valor de mercado de mais de 1 bilhão de dólares. https://www.instagram.com/p/CNZGh2UhEv3/ Mudança de vida Atualmente ao falar de Salt Bae logo temos em mente as imagens dele com jogadores de futebol, atores e atrizes de Hollywood e todo um cenário internacional. Uma feliz coincidência fez com que uma viagem para a Argentina mudasse a vida dele completamente.  Na terra de Maradona, a quem ele atenderia anos depois, Nusret aprendeu a técnica de corte de carnes que o tornou mundialmente conhecido. Aos 27 anos de idade, em 2010, decidiu pegar todas as economias e dar um grande passo: abrir o primeiro restaurante na cidade de Istambul, na Turquia. O financiamento para o futuro e as celebridades Entre temperos, cortes de carne, carisma e muita vontade de atingir o sucesso, Nusret despertou a curiosidade de Ferit Sahenk, um bilionário turco investidor de restaurantes, hotéis e finanças.  Em 2012, a parceria entre os dois teve início e hoje a rede de restaurantes Nusr-Et Steakhouse conta com unidades em Dubai, Abu Dhabi, Doha, Miami, Nova York e Londres, entre outras cidades.  O bife de ouro O luxo e toda ostentação vividos por Nusret foram transformados em um prato: o bife de ouro. Também conhecido como Príncipe do Sal, o chef lançou o corte em seu restaurante em Nova York.  Feito com folhas de ouro 24 quilates, o prato divide opiniões entre críticos e consumidores famosos. Oferecido aos clientes pelo preço médio de R$ 5 mil, há quem diga que vale a pena. Sem dúvidas, deve ser uma experiência diferente.  A fama Nusret teve a vida completamente transformada em 2017 devido a um vídeo publicado nas redes sociais. Com todo o carisma do mundo e técnicas teatrais eficientes, Salt Bae aparece cortando a carne e salgando as fatias com sal.  Mesmo com a pressão do investimento, o chef Nusret conseguiu desenvolver todo seu talento e carisma na frente de celebridades como Lionel Messi, Maradona, Andrea Bocelli, Drake, Maluma, Leonardo DiCaprio, Beyoncé, David Beckham, entre outros.  Em uma polêmica vivida no ano de 2018, Nusret aparecia servindo o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, o vídeo foi postado nas redes sociais, mas apagado pouco tempo depois.  De lá para cá, entre polêmicas e sucesso, Salt Bae acumula mais de 34 milhões de seguidores no Instagram e mais de mil fotos tiradas por dia com admiradores. Há muito o que aprender com o Salt Bae, principalmente quando falamos de imagem e posicionamento nas redes sociais.   https://www.instagram.com/p/BQAsfCYDPNk/?utm_source=ig_embed   Fontes   https://exame.com/negocios/vida-dura-fora-do-instagram-salt-bae-o-chef-celebridade-renegocia-dividas/ https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/09/18/quem-e-salt-bae-o-chef-turco-que-serviu-maduro-em-restaurante-de-luxo-de-istambul.ghtml
Leia Mais
Quem é Abilio Diniz?
Abílio Diniz é um dos principais empreendedores da história do Brasil, conhecido principalmente pela criação do Grupo Pão de Açúcar. Hoje, aos 84 anos, a Revista Forbes estima que sua fortuna seja de US$ 2,2 bilhões (em julho de 2020), mas nem sempre foi assim. Nascido em São Paulo nos anos 30, Diniz passou parte da infância no bairro do Paraíso, onde costumava ir à missa com a mãe. A partir do hábito, desenvolveu algumas de suas principais características: a espiritualidade e a fé em Deus, a sua maior força. A falta de popularidade que resultava em perseguições na escola, motivou o jovem Abilio a buscar refúgio em esportes como boxe, capoeira e judô, paixão que ele demonstrou ao longo de toda a vida.  Diniz foi aluno do colégio Anglo Latino, estudou no Colégio Mackenzie durante o segundo grau e se formou em 1956 pela Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Seu sonho sempre foi ser professor, mas viria a desistir da ideia após ser convencido pelo pai a administrar os negócios da família.  https://www.instagram.com/p/B7T8ADbFjMH/ Família Foi o primeiro dos seis filhos do casal Valentim e Floripes Diniz. O pai de Abilio, Valentim, chegou ao Brasil em 1929 e ficou encantado com o Pão de Açúcar, um dos mais famosos pontos turísticos do Rio de Janeiro.  Pouco depois da chegada da família ao Brasil, Valentim foi chamado para trabalhar como caixeiro e entregador do mercado Real Batateiro, onde conheceria sua esposa. Os dois se casaram em 1936 e especificamente em 1949 o Pão de Açúcar viria a ser o nome da doceria familiar inaugurada na Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, em São Paulo.   https://www.instagram.com/p/CKd_c1wF3_5/ Pão de Açúcar Dez anos depois, em 1959, o pai decidiu abrir o primeiro supermercado da rede e o filho ficou responsável por ajudá-lo na administração do negócio. No fim dos anos 60, o grupo Pão de Açúcar já contava com 60 filiais em 17 cidades e tinha Abilio como principal encarregado das decisões.  O negócio, que estava crescendo e dando certo, foi abalado por uma disputa entre os irmãos Diniz, o que motivou o afastamento de Abilio dos negócios e a ida do mesmo ao governo para participar de um Conselho Monetário. Durante sua participação em Brasília, o empresário seria até acusado de estocar produto para evitar o congelamento de preços adotado à época.  Devido ao afastamento de Abilio dos negócios, os irmãos decidiram abrir o capital da empresa, o que quase levou o grupo à falência. De volta aos negócios em 1994, Abilio Diniz cortou empregos, enxugou a estrutura e fez de tudo para salvar a história da família, além de ter inúmeros pedidos de empréstimo negados por bancos. O processo todo custou, à época, a diminuição de 600 para 260 lojas e a demissão de 28 mil funcionários. A queda No ano de 1995, a empresa decidiu que era a hora de capitalizar para retomar o crescimento. Após conversas extensas com redes como Carrefour e Walmart não irem para a frente, Abilio encontrou o grupo francês Casino, que adquiriu 24,5% do Pão de Açúcar, o que viria a ser um problema futuro e motivo da desistência do controle da empresa.  Para evitar perder o controle do Pão de Açúcar, Diniz tentou até negociar diretamente com o CEO da Casino, mas foi tudo em vão. Isso porque a Casino descobriu que Abilio Diniz negociava em segredo com o Carrefour, principal concorrente da Casino na França. Com o conhecimento público do caso, a relação foi pelo ralo.  Entre relações conturbadas com os sócios franceses, negociações com outras empresas e vendas de fatias do Grupo, Abilio viria a se despedir do Pão de Açúcar em 2013, após gastar milhões com advogados para conter os avanços dos franceses que haviam adquirido participação cada vez mais significativa nas decisões ao longo dos anos. https://www.instagram.com/p/BisB2nKAfDD/ Novos rumos Considerado por Abilio como o maior erro de sua vida profissional, o acordo arruinado motivou o empresário a procurar alternativas, quando adquiriu redes como o Ponto Frio e Casas Bahia, criando a conhecida Via Varejo. Apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube, o empresário já destacou milhares de vezes um dos principais pilares para atingir resultados: disciplina.  Criada em 2006 por Diniz, a gestora Península ajudou o empresário a chegar à BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo. Em 2014, a gestora adquiriu ainda ações do Carrefour na França, o que resultou a ele uma cadeira no conselho na matriz da empresa.  https://www.instagram.com/p/B4AH1DLlJxX/  Conhecimento Ao longo de sua trajetória, Abilio lançou livros e utilizou a Península para criar um setor filantrópico que investisse na melhora da educação brasileira. Abaixo você encontra alguns dos livros de Diniz: 1990: Reforma Econômica para o Brasil 2004: Caminhos e Escolhas 2016: Reflexão, Equilíbrio e Paz 2016: Novos Caminhos, Novas Escolhas Frases “Uns sonham com o sucesso, nós acordamos cedo e trabalhamos duro para consegui-lo.” “Quero ser hoje melhor do que fui ontem e amanhã, melhor do que sou hoje.” “Ser criativo é fazer diferente, inovar e reinventar para criar o futuro.” “Seja o condutor do carro da própria vida.” “Ser objetivo é saber onde está e aonde se quer chegar focando em resultados.” Fontes http://abiliodiniz.com.br/ https://www.infomoney.com.br/perfil/abilio-diniz/ https://www.euqueroinvestir.com/abilio-diniz-bilionario/      
Leia Mais
Quem é Carlos Wizard?

Carlos “Wizard” Martins é um empreendedor e empresário brasileiro que fundou a escola de idiomas Wizard. Diferentemente de outros grandes empresários brasileiros, Carlos começou a empreender só após os 30 anos quando decidiu dar aulas de inglês.

Antes de entrarmos de fato a falar sobre a carreira empresarial, podemos dizer que Carlos Wizard é um dos empresários que mais empreende e apoia causas sociais no Brasil, tanto que recentemente se afastou dos negócios e foi para Roraima ajudar os venezuelanos que fugiram da fome e do caos, tanto que estima-se que mais de 6 milhões de venezuelanos já deixaram suas casas em busca de de um novo rumo. Wizard trabalhou junto à esposa na causa por mais de um ano.

Juventude

Carlos Wizard, ainda jovem, se converteu junto à família ao mormonismo na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Desta forma, Wizard se dedicou ao inglês aconselhado pelos seus colegas de igreja para que um dia pudesse se mudar para os Estado Unidos com o objetivo de estudar e foi assim que ele fez.

Estudos

Aos 17 anos, viajou aos Estados Unidos para morar e aprender inglês. Aos 19 anos, serviu em uma missão religiosa para a Igreja de Jesus Cristo em Portugal, ficando dois anos na Europa fazendo trabalhos voluntários e humanitários. Dois anos depois, aos 21, retornou ao Brasil, com o objetivo de formar uma família e buscar uma formação acadêmica em nível superior.

Carlos Wizard casou-se e retornou para a América para estudar Ciência da Computação na Universidade Brigham Young (BYU), após quase desistir da faculdade devido à complexidade dos estudos e também por ter ficado muito tempo fora da escola, pois já estava com 26 anos.

Carlos se formou e voltou ao Brasil em busca de trabalho. Recém-formado e com inglês fluente, trabalhou por um tempo em uma multinacional, até que um dia descobriu o salário de um dos Diretores da empresa que trabalhava e se decepcionou quando viu que teria que ficar vários anos trabalhando no mesmo lugar para crescer até ganhar aquele valor.

Decisão empreendedora

Ele decidiu empreender, pediu a Deus uma inspiração para que conseguisse montar algo grandioso que permitisse a oportunidade de escalar e deixar mais pessoas ricas junto a ele. Daí veio a ideia de dar aulas de inglês. Carlos já tinha dois filhos e já passava dos 30 anos de idade, mas iniciou lecionando à noite e foi aumentando os seus alunos cada vez mais, quando teve o insight de montar uma escola.

Assim nasceu a Wizard, empresa que cresceu exponencialmente. Em um determinado momento, seus filhos gêmeos Charles e Lincoln aconselharam-no a adquirir concorrentes para criar uma proteção e defesa contra empresas internacionais com alto poder econômico. Desta forma, a Wizard se tornou responsável por consolidar o mercado de idiomas e cursos de formação profissional no Brasil. Compraram diversas escolas e se tornaram um dos grandes grupos empresariais brasileiros. Em 2013, Carlos Wizard vendeu seu grupo para a britânica Pearson pela bagatela de quase R$ 2 bilhões de reais.

 

A partir daí, Carlos tirou um pequeno período sabático e voltou à vida empresarial dessa vez com investimentos mais diluídos. Atualmente, controla com seus filhos a Holding Sforza que é acionista de várias empresas de segmentos diferentes. Wizard trouxe para o Brasil a rede Taco Bell e investiu em outras empresas como Pizza Hut, KFC, Wise UP, Rainha, Topper, Ronaldo Academy e Mundo Verde.

Na imagem abaixo é possível verificar algumas marcas famosas que Wizard investiu. Recentemente, a Sforza Holding vendeu a Fintech Hub para a Magazine Luiza por R$ 290 milhões. Além de empresário e empreendedor, Carlos Wizard é escritor e autor dos seguintes livros:

Vencendo A Própria Crise (2002)

O Desejo de Vencer (2010)

Como Sonhar e Realizar Seus Sonhos (2010)

100 Pensamentos – Motivação, Liderança e Sucesso (2010)

100 Pensamentos – Motivação, Liderança e Sucesso – Vol 2 (2010)

Meu Presente Mais Valioso (2012)

Desperte o Milionário Que Há Em Você (2012)

Do Zero ao Milhão (2017)

Meu maior Empreendimento (2020)

Fontes usadas nesse texto:

Palestra Endeavor Day 1

https://endeavor.org.br/desenvolvimento-pessoal/day1-carlos-wizard-sforza-holding/

 

Leia Mais
Quem é Flávio Augusto?

Flávio Augusto da Silva é um empreendedor e empresário brasileiro nascido e criado no Rio de Janeiro. Famoso por sua bagagem, ele marcou toda uma nova geração de jovens empreendedores como eu. Flávio foi um dos primeiros empresários já ricos que começou a falar sobre o empreendedorismo no Brasil e eu fui impactado por ele há quase 10 anos atrás.

Flávio tinha tudo para ser um militar, tanto que até passou em um concurso da Marinha, mas por não ter se adaptado decidiu sair, quando conheceu sua esposa Luciana com quem está até hoje. Como nada é por acaso, no início do namoro Augusto decidiu arrumar um emprego para pagar o cinema do casal e conseguiu uma vaga sem garantia, onde era 100% comissionado vendendo matrículas de curso de inglês.

Com essa primeira oportunidade iniciou sua trajetória meteórica no segmento, passando por vários cargos até montar sua própria escola com um cheque especial de R$ 20 mil. Ele é fundador da escola de Inglês Wise UP, que foi vendida em 2013 por R$ 877 milhões para o Grupo Abril Educação, recomprada por R$ 390 milhões de reais em 2015. Dois anos depois, vendeu 35% de participação para Carlos Wizard, que também aparece em um post aqui no blog. Hoje eles são sócios na Wiser Educação, uma empresa focada em educação de idiomas que adquiriu outra rede de curso de inglês, a mineira Number One.

Crescimento nas redes sociais

Flávio ficou conhecido pelo Geração de Valor, seu canal no YouTube e página no Facebook. Ele começou entrevistando algumas pessoas conhecidas no meio empresarial e também dando dicas sobre inteligência emocional e negócios, com isso ganhou milhares e depois milhões de seguidores em suas redes.

Flávio hoje é um dos maiores geradores de conteúdo do Brasil sobre empreendedorismo, além da página no Instagram/Facebook, ele posta semanalmente conteúdo no Telegram junto com outras feras como Rick Chester, Édio Alberti e Elisa Simões.

Novo grande negócio

No intervalo da venda da Wise Up, fez um outro grande negócio impactante, a compra do clube de futebol Orlando City, onde o último melhor jogador do mundo brasileiro, o Kaká, encerrou sua carreira. Atualmente, o time conta com Alexandre Pato e a rainha Marta em seus elencos.

Como o próprio Flavio contou durante palestra da Endeavor, ele descobriu essa oportunidade quando começou a morar nos EUA e a acompanhar seu filho que é jogador de categoria de base. A chance surgiu a partir da observação do interesse e a mudança de comportamento dos americanos em relação ao futebol. Mas a trajetória de Flávio não para por aí.

Livros, conhecimento e ensino

Flávio Augusto lançou dois livros, o primeiro é o Geração de Valor e o segundo Ponto de Inflexão. Além disso, desenvolveu a plataforma de ensino de negócios MeuSucesso.com que, com uma produção de cinema, conta cases incríveis de empresários de sucesso. Por último veio o Power House, um evento de empreendedorismo que também virou plataforma de streaming sobre negócios anexada ao evento.

Recentemente, Flávio deu mais um passe de mágica ao criar uma plataforma de ensino de inglês através da Wise UP que é simplesmente sensacional para estudantes, super acessível e focada na prática da conversação.

Recapitulando, os negócios de Flávio Augusto são os seguintes. Wiser Educação, Orlando City, Meusucesso.com e Power House.

Encontro com a inspiração

Em meados de 2015, tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente no lançamento do seu primeiro livro. Recomendo firmemente que todos acompanhem o Flávio nas redes sociais, como o Instagram. Abaixo deixo uma foto que tirei com ele.

 

Leia Mais
A Uberização do trabalho nas empresas

A 'Uberização do trabalho' é um termo muito utilizado por especialistas e pesquisadores do mundo inteiro. Como você deve imaginar, os Marketplaces são plataformas abertas para usuários se cadastrarem sem nenhum vínculo trabalhista para prestar serviço e, com isso, pagarem uma comissão para a detentora da plataforma para o uso.

Muitos empresários têm confundido as novas leis trabalhistas que foram mudadas no final de 2017. A principal delas está relacionada à terceirização dos colaboradores que realizam uma função operacional para a empresa no dia a dia. 

Após conversas com vários colegas empreendedores, vejo que muitos têm terceirizado funções administrativas, vendas e financeiro, onde considera-se que estão no cotidiano da empresa e têm horário para sair e entrar. Sendo assim, há o risco de ter reclamações trabalhistas e com razão. Pensando nisso, muitos empresários têm contratado funcionários que têm MEI para não ter custos com FGTS, GPS, rescisões, entre outros.

Na minha opinião, além de ser errado do ponto de vista jurídico, vejo um problema de Gestão de Pessoas. Será difícil uma pessoa trabalhar com foco, vestir a camisa estando "sem vínculo"? Além disso, um colaborador que não tem benefício e ligação com a empresa pode deixar a empresa na mão na primeira oportunidade se aparecer algo melhor.

Algumas economias não valem a pena e essa é uma delas. Já tive processos trabalhistas, causas que o valor pedido pelo colaborador era R$ 5.000,00 e tive que gastar R$ 2.500,00 com advogado. No meu caso, a colaboradora era registrada e reclamava por direitos que achava que a empresa estava errada. É importante ressaltar que todo juiz tende a ir para o lado do funcionário que é o lado mais "frágil" e nós empresários ficamos expostos. Portanto, jamais terceirize funções que não pode, tanto do ponto de vista legal como operacional também.

Quando terceirizar?

No meu caso terceirizei toda parte de Marketing Digital, Artes, Sistemas, Informática, Entregas e Contábil. Todos os colaboradores do operacional são registrados CLT e procuro focar no Core Business da empresa que é o Atendimento e Comércio Exterior.

Não podemos confundir terceirização da atividade fim com Uberização de Emprego. A terceirização, por exemplo, é quando uma empresa contrata uma outra empresa para fazer o seu serviço. Um exemplo prático que já acontece há anos são as montadoras de carros, onde praticamente nenhuma possui mais fábrica há anos, então somente juntam as peças dos carros e montam. Tudo é terceirizado, desde um pequeno parafuso até o pneu. Toda montadora foca apenas no Core que é o motor ou outro diferencial. 

Mas veja, as montadoras jamais vão deixar um funcionário de uma outra fábrica dentro do seu escritório sendo gerenciado, comandado e respondido diretamente a um funcionário próprio. 

Cada empresa fica em seu espaço e responde à empresa específica para não gerar vínculo. Imaginem um engenheiro da Toyota que é contratado como Pessoa Jurídica e trabalha por 5 anos das 8h às 18h em uma determinada planta de produção, respondendo a diretores da Toyota e etc. Certamente isso jamais acontecerá.

Se você concorda, discorda ou quer acrescentar algo, é só comentar!

 

 

 

Leia Mais
O que é empreendedorismo?

Procurando a palavra empreendedorismo no dicionário, os resultados são os seguintes: 

  • Disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços, negócios
  • Iniciativa de implementar novos negócios ou mudanças em empresas já existentes, gerenciamento com alterações que envolvem inovação e riscos

História

O empreendedorismo surgiu no século XVII com o início da industrialização que ocorria por todo o mundo devido à Primeira Revolução Industrial que aconteceu na Grã Bretanha. Com a mudança do sistema econômico, os empreendedores passaram a se distinguir dos fornecedores de capital, os capitalistas, a partir daí começam a surgir grandes empreendedores e revolucionários que desenvolveram produtos e serviços de maneira exponencial.

Empreendedorismo na atualidade

O empreendedorismo é um tema que está em alta e gera muitas discussões sobre o que realmente é empreender. Muitas pessoas unem a palavra empreendedor a empresário, porque se vai empreender, provavelmente abrirá um negócio. A classificação não está errada, mas esse significado pode ser expandido.

Existem exemplos como o empreendedorismo social, que ocorre ao fundar uma ONG que ajuda moradores de rua, que cuida de pets abandonados, idosos ou até mesmo reconstrução de florestas ou meio ambiente no geral. 

Se você teve ou tem uma carreira brilhante em uma empresa onde passou por várias etapas e cargos, saiba que isso também é empreender. As características de uma pessoa empreendedora muitas vezes são peças-chave para quem quer empreender, mas podemos observá-las em diversos contextos: determinação, assumir riscos, trabalhar duro, liderar, gerir grupos de pessoas, ser analista e ético, ter capacidade de se reinventar e inovar a todo momento.

Portanto, todas essas características podem ser encontradas em várias pessoas. Se você trabalha em uma empresa privada, pública ou até mesmo numa organização sem fins lucrativos, é possível sim empreender dentro do seu contexto e realidade. A jornada empreendedora é mais difícil e desafiadora, porque certamente independente do desafio vai ser difícil.

O que é ser empreendedor?

O empreendedor resolve problemas para a sociedade, seja ele privado, social ou público. Ser empreendedor é um estado de espírito, um posicionamento ou até mesmo uma missão de vida. Sem filtro, o empreendedor tem que ter fé, disposição e estar preparado para o caos, porque muitos obstáculos aparecem todos os dias. Como já dizia Jorge Paulo Lemann, ‘o sucesso nunca é uma linha reta’. 

O Brasil naturalmente tem um povo empreendedor, tanto que aqui empreendemos por necessidade ou oportunidade. Muitos brasileiros utilizam a época de crise para começar um comércio, vender algum produto ou serviço, que é quando nasce um negócio promissor que pode vir a tomar grandes dimensões.

Burocracia e Sebrae

Mesmo com barreiras burocráticas e riscos, a maioria dos brasileiros quer ser patrão. De acordo com o Sebrae, o grande problema é a falta de preparo e planejamento. Além disso, segundo o próprio Sebrae, a cada cinco empresas que abrem no Brasil uma fecha em menos de um ano. 

Portanto, se você pretende empreender, se prepare, estude bastante o setor que você pretende abrir um negócio. Se você já tem experiência em um determinado segmento, isso ajuda bastante. Nunca faça empréstimos para abrir um negócio e nem arrisque todo seu patrimônio.

Embora o Brasil tenha uma cultura diferente, nos EUA falir um negócio é levado por investidores como aprendizado pelos erros que não serão mais cometidos. Se você vai montar algo ou já quebrou, saiba que temos que levar como experiência e não cometer os mesmos erros. Não desanime, pois empreender é para poucos e é um estado de espírito.

 

 

Leia Mais
1 9 10 11
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram