Aprenderdorismo

Empreender é uma arte
10 de junho de 2021 - Por: Elias William

Quem é Richard Branson?

Dono de uma personalidade tão forte quanto o sucesso de seus investimentos, o empresário Richard Branson é uma referência para quem deseja empreender. 

Fundador do grupo Virgin, que possui investimentos em diversos setores, como os de telecomunicação, música, aviação e muitos outros, Branson possui patrimônio de cerca de US$5 bilhões, segundo informações da Forbes 2021. 

Logo na infância, Branson já dava sinais de que poderia ser um homem de sucesso. Certa vez se juntou ao amigo Nik Powell e decidiu vender periquitos no quintal de casa durante as férias, o que rendeu uma quantia modesta de dinheiro. Além dessa iniciativa, tentou vender pinheiros no Natal e até coelhos para um açougue, mas nenhuma das iniciativas teve grande impacto. 

De família de origem basicamente militar, Richard foi influenciado a se tornar empreendedor pela própria mãe, Eve, que durante sua vida fabricou toalhas de mesa, caixas de madeira, além de ter atuado como corretora de imóveis, policial e até agente de condicional. 

Eve era filha de militar e até tentou seguir a carreira se disfarçando de homem para tentar ser piloto, mas não deu certo e seguiu para a Marinha durante a Segunda Guerra Mundial. Após o fim da guerra, viajou a Europa como bailarina e se tornou aeromoça. 

A revista Student

Branson não era um aluno exemplar devido à dislexia que o acompanhou desde o nascimento. Certa vez conversou com o amigo Nik e decidiram, juntos, lançar a revista Student fora das atividades escolares. 

A ideia era tornar a publicação a centralização das ideias dos jovens ingleses do final dos anos 60, expondo opiniões sobre temas cotidianos e de guerra, além de servir como um refúgio àqueles que desejassem conversar sobre temas como homossexualidade, gravidez e até suicídio.   

Na empreitada, os jovens conseguiram anunciantes e entrevistas com figuras lendárias como Mick Jagger e John Lennon. O beatle havia prometido lançar a letra de uma canção inédita na publicação, o que não foi feito por motivos pessoais, causando prejuízos à Richard e Nik.  

Indústria musical

Branson em certo momento descobriu o acordo existente entre fábricas de vinis e lojas sobre a tabulação de preços e viu a oportunidade de criar a Virgin Mail Order, empresa que vendia e enviava discos pelo correio. 

Utilizando a Student para anunciar a nova empreitada, o negócio decolou, mas foi logo abalado por uma greve dos Correios. A ideia seguinte foi abrir uma loja física em uma área comercial para que os jovens pudessem frequentar, conversar e trocar experiências sobre música. 

Com a Virgin Records Shop, os amigos prosperaram, mas logo viriam os problemas, quando Branson foi pego contrabandeando discos para se livrar de parte do custo dos impostos. Branson foi preso, mas a mãe salvou a pele dele hipotecando a própria casa para pagar a fiança. 

Bandas de sucesso

As bandas de rock estavam crescendo cada vez mais e Branson não poderia ficar de fora dessa. Com um empréstimo do banco, comprou uma mansão e criou o The Manor Studio, que serviria de casa para a gravação de bandas como Queen, Black Sabbath, The Cure, Radiohead, entre outras. 

Nos próximos anos, Branson viria a lançar discos que venderiam milhões de cópias e ficariam mundialmente famosos, como o Never Mind the Bollocks, dos Sex Pistols. 

Expansão

O sucesso no ramo musical fez Branson expandir os horizontes para negócios variados, como: boates, jogos de videogame e produção de vídeo. 

No entanto, a mais emblemática seria a criação de uma companhia aérea, a Virgin Atlantic, empreitada motivada por um voo perdido durante o período de férias. Entre disputas judiciais, mimos oferecidos aos clientes, dificuldades e sucesso, a companhia sofreu com campanhas de difamação de uma concorrente, a British Airways. Fruto dos desentendimentos, a empresa de Branson chegou a vencer até uma disputa judicial na época. 

Negócios e personalidade

A trajetória de Branson sempre foi cheia de tentativas e erros, modo de viver que causou diversas dívidas e decisões difíceis. O empresário vendeu a Virgin Records durante o momento de crise para a EMI. A personalidade excêntrica do bilionário rendeu a ele uma série de iniciativas, como a de tentar atravessar o Atlântico pelo mar em um barco que acabou virando, a criação de uma equipe de Fórmula 1 que nunca pontuou.

Já pelo lado do sucesso, Branson investiu e criou a Virgil Rail Group,  para participar da privatização da rede de ferrovias no Reino Unido, iniciativa que rendeu a ele o título de Cavaleiro do Império Britânico, título concedido em 2000 pela rainha Elizabeth 2ª. 

Poucos anos depois, Branson decidiu que disputaria um lugar no espaço com Elon Musk e Jeff Bezos, criando a Virgin Galactic. O primeiro voo está marcado para 2021. 

Filantropia

Motivado pela mãe em uma viagem, Branson investiu e criou a Eve Branson Foundation, que cria e gerencia projetos de geração de renda no Marrocos. Entre as principais preocupações do empresário estão diversos temas, como: direitos humanos, procura de crianças desaparecidas, interrupção da exploração de crianças e preservação do meio ambiente. 

 

Fontes

https://www.infomoney.com.br/perfil/richard-branson/

https://www.suno.com.br/tudo-sobre/richard-branson/

https://forbes.com.br/negocios/2017/07/7-licoes-que-richard-branson-aprendeu-com-seus-erros/

https://investidorsardinha.r7.com/biografias/richard-branson-quem-e-biografia/

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram