Aprenderdorismo

Empreender é uma arte
13 de julho de 2021 - Por: Elias William

Quem é Uri Levine?

A vida de um empreendedor é basicamente focada em um fator: buscar algo que faça o mundo mudar. Pensando nisso, o israelense Uri Levine criou o aplicativo de navegação Waze, um dos mais famosos do mundo. 

Responsável por desenvolver o Waze e lançá-lo em 2007, Levine desejava usar a tecnologia a favor da humanidade, diminuindo o trânsito, acidentes e engarrafamentos, mas o desejo só foi realizado até certo ponto. 

O aumento do número de veículos no planeta, as obras e até a pressa dos motoristas, colocam tudo a perder todos os dias. Não há aplicativo que resolva questões puramente humanas, mas ele conseguiu solucionar algumas.

Há relatos de motoristas que perderam o medo de conduzir os veículos após o lançamento do Waze, fator pelo qual Levine já comemorou algumas vezes. O empreendedorismo é isso: fazer a diferença na vida das pessoas. 

O Waze

O nome ‘Waze’ não foi escolhido por acaso. Cansado de perder tempo no trânsito, Levine usou uma derivação da palavra em inglês ‘ways’, que quer dizer ‘caminhos’. Usada no plural, a palavra indica vários caminhos que podem ser seguidos. 

Com o passar do tempo, especificamente seis anos após ser lançado como um GPS que oferecia diversos recursos de sinalização de acidentes e engarrafamentos, o Waze foi vendido ao Google, em 2013. A negociação foi avaliada em torno de US$1,1 bilhão na época, algo em torno de R$5,3 bilhões. 

Os outros dois cofundadores do Waze aceitaram ofertas para participar da diretoria do Google, menos Levine. Com o investimento do Google e a popularização, o Waze alcançou 110 milhões de usuários em 2018, número que saltou para 250 milhões em 2019. 

Até hoje, há pessoas que descobrem o aplicativo e não largam mais. Seja pela oferta de rotas alternativas ou facilidade de uso, o recurso se popularizou nos últimos anos, muito impulsionado também pelos transportes via aplicativo. 

Mente empreendedora

Após a venda para o Google, Uri Levine decidiu descansar. Poucos dias depois, já estava na ativa à procura de novas iniciativas para investir. Criou o Moovit, por exemplo, aplicativo que mostra ao usuário as opções de transporte público possíveis para ele se locomover de forma otimizada. 

Durante sua jornada já ofereceu ideias às capitais europeias a respeito da mudança de vias para favorecer o transporte público, uma clara declaração de amor aos problemas enfrentados por inúmeros países ao redor do mundo. 

De acordo com Levine, inclusive, empreendedores devem se apaixonar por problemas, não por soluções. Desta forma, faz a análise de dados de situações e de dificuldades para decidir se interfere ou não. Posteriormente forma as equipes e começa a agir. 

Em uma entrevista à Exame, por exemplo, Levine ressaltou que em Israel, sua Terra Natal, são criadas mais startups do que no Brasil. É interessante ressaltar que Israel possui 9 milhões de habitantes, enquanto o Brasil passa dos 210 milhões. 

Brasil

Lançado no Brasil em 2012, o Waze teve um papel considerável no país durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, quando era possível colaborar com o governo reportando acidentes, engarrafamentos e outros problemas. Na época, houve queda de 27% dos engarrafamentos em horários de pico. 

Fontes

https://brasil.elpais.com/brasil/2019/10/10/tecnologia/1570717218_742251.html

https://exame.com/pme/apos-vender-waze-por-us-13-bilhao-ao-google-o-que-faz-uri-levine/

https://canaltech.com.br/empresa/waze/

http://www.mobilize.org.br/noticias/11827/o-israelense-que-criou-o-waze-anda-de-bicicleta.html

https://segredosdomundo.r7.com/waze-historia/

https://forbes.com.br/colunas/2019/10/fundador-do-waze-quer-levar-investidores-brasileiros-para-israel/

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram